Ser amado por Jesus: foi a descoberta mais impressionante da minha vida,
o segredo para a felicidade, a fonte da unidade na caridade, o antídoto a tristeza no mondo.

"É preciso ter um grande ideal no qual devemos estar prontos... Para conhecer e amar Jesus e fazê-lo conhecido e amado"

Padre Ottorino Zanon, un padre contente

 

Talvez  surgiu em ti uma pergunta: Quem é pe. Ottorino, este padre que por primeiro ouviu o chamado de Jesus para ser sinal e instrumento da unidade na caridade?

Eis para você uns dados, para responder à tua curiosidade.

Pe. Ottorino Zanon nasceu em Vicenza (Itália)  aos 09 de agosto de 1915, numa família pobre. Foi ordenado padre em 26 de maio de 1940, durante a segunda guerra mundial. Vigário paroquial, numa paróquia da cidade, ficou impressionado pela situação de sofrimento e de degradação em que viviam as famílias, na periferia da cidade.

 

 

Em 24 de maio de 1941 começou uma Obra nova, o Instituto São Caetano, abrigando meninos órfãos e abandonados educando-os, por meio do trabalho, para que fossem bons cidadãos e bons cristãos.

Desde o começo, envolveu colaboradores na Obra, entregando-se à  Providência para poder responder às inúmeras necessidades dos meninos; nunca faltaram os sinais concretos da presença de Deus, a Quem a Obra pertence. Em 1948 recolheu o primeiro grupo de jovens, que se tornariam religiosos, padres e diáconos.

 

 

Em 1961 nasceu a “Pia Sociedade São Caetano”, Congregação religiosa dedicada aos cuidados pastorais de paróquias de população carente e nas dioceses mais necessitadas de clero.

 

Tinha uma alma paternal, jovial e inovadora na educação dos jovens, uma paixão imensa por Jesus e um desejo transbordante de anunciar ao mundo a beleza de estarmos unidos a Ele.

 

Pe. Ottorino dedicou-se à formação dos jovens religiosos e animou a expansão missionária da Congregação.

Pe. Ottorino morreu em Brescia, em 14 de setembro de 1972, por um acidente de carro.

Suas últimas palavras foram : ´Jesus te amo’.

 

 

Go to top